Sobre Ronaldo Barcellos

Dizem que talento pra música nasce com a pessoa 
Já ouvi dizer que a deusa música escolhe seus súditos. Vivi uma infância humilde, mas tive o que mais me importava: saúde e liberdade pra correr atrás da bola de coro, de meia, de gude, pião, pipa...
Só uma tristeza me doía na alma; quando morava com minha vó e meus colegas abandonavam o jogo, mesmo ganhando, e corriam pra se dependurar nos braços de seus pais que voltavam do batente. O som do clarinete de irmã Nini preenchia esse vazio, enquanto outras certezas me esbofeteavam o coração, o som daquele instrumento parecia me trazer paz, pai, mãe e amigos. Não sei se a música me escolheu, sei que me agarrei a ela como uma tábua de salvação e fui preenchendo vazios da alma, até ver meus filhos, netos e bisnetos, correndo pra se jogar em meus braços. A música me deu régua e compasso, pão e lazer, dignidade e reconhecimento. Agora vivo em estado de gratidão, tentando fazer a melhor canção que eu puder, pra que outras crianças escolhidas sintam a mesma emoção que senti com o som do clarinete da irmã Nini.